Educação Especial

A Educação Especial é o ramo da Educação que se ocupa do atendimento e da educação de pessoas com deficiência. O termo "educação especial" denomina tanto uma área de conhecimento quanto um campo de atuação profissional. 

Uma grande parte das crianças que necessitam dos serviços de educação especial têm necessidades educativas especiais, estando abaixo da média numa ou mais das capacidades seguintes: pensamento (cognição); aprendizagem de matérias académicas (a aprendizagem não é consistente com a capacidade intelectual do aluno); reconhecimento e controlo de emoções ou comportamentos; uso da fala na comunicação; audição; visão; locomoção ou bem-estar físico. Os termos associados a estes problemas incluem os problemas intelectuais, as dificuldades de aprendizagem específicas, as perturbações emocionais, as desordens da comunicação, a surdez ou o impedimento auditivo, a cegueira ou o impedimento visual, os problemas motores ou os impedimentos de saúde (ex., desordem por défice de atenção), o autismo, o traumatismo craniano, e as discapacidades severas ou múltiplas. Os serviços de educação especial podem também ser necessários para crianças cujas capacidades estão significativamente acima da média: aqueles com dotes ou talentos especiais. Todos estes casos requerem certas modificações ou adaptações complementares ou suplementares no programa educacional, promovendo a sua autonomia e todo o seu potencial.

O Apoio Pedagógico Especializado é um dos recursos que a Educação Especial disponibiliza às crianças com Necessidades Educativas Especiais e suas famílias. Este tipo de apoio inicia-se com uma avaliação pedagógica especializada, com a finalidade de avaliar e diagnosticar a essência das dificuldades de aprendizagem demonstradas pelas crianças/jovens. Seguidamente, realizar-se-á uma proposta de intervenção educativa que deverá ser implementada em articulação com o aluno, a família e/ou técnicos da área da reabilitação. A Avaliação Pedagógica Especializada assenta em técnicas e métodos de avaliação diversificados, como: entrevistas, sessões individuais de observação, onde se procederá à utilização de testes estandardizados e não estandardizados para avaliação de comportamentos e atitudes, avaliação da área da Linguagem, da Psicomotricidade, da área Perceptiva, da Motricidade e dos níveis de desempenho nas áreas académicas.

Indicações:

  • Dificuldades de aprendizagem
  • Falta de métodos de estudo
  • Carência de organização do estudo
  • Superação de dificuldades